• Redação

Que tipo de líder é você?

Autocrata, liberal ou motivador? Que perfil de liderança é o ideal? Existe um perfil de liderança ideal? Veja o que diz o especialista em recolocação executiva Marcelo Arone, que identificou 7 tipos de liderança e qual o melhor caminho para engajar pessoas.


Marcelo Arone, Headhunter e Coach de Carreira, especialista em recolocação executiva e sócio da OPTME RH, 12 anos de experiência no mercado de capital humano, explica: “existem várias escolas que falam sobre a liderança, que enumeram os tipos de líderes e que analisam os resultados de sua atuação nas equipes”. Existe algum mais certo do que outro? “Não”, enfatiza Arone, “pela minha experiência, o que vejo é que podemos avaliar quais tipos são mais comuns e quais funcionam mais para os dias de hoje, especialmente na transição pós-pandemia”.


Arone identifica, em sua trajetória de recolocação profissional de lideranças, 7 tipos de líderes que mais aparecem no mercado brasileiro. Acompanhe:


Liderança centralizadora/autocrática

Esse é o pior tipo de líder, sem dúvida. O cara autoritário, que decide sozinho, que toma a decisão por si próprio sem ouvir seus pares ou subordinados. Infelizmente, ainda tem uma parcela bem grande da chefia nas empresas que age dessa forma.


Liderança liberal

O líder liberal também decide, na maioria das vezes, por si, mas ele permite que a equipe opine, que trabalhe em conjunto as decisões, então ele já descentraliza um pouco a tomada de decisão.


Liderança democrática

Esse tipo de líder permite que todos sejam ouvidos, pede opinião, e toda decisão é mais colegiada e baseada no senso comum.


Liderança motivadora

Aqui, temos o líder que consegue engajar, deixar a equipe super comprometida com o objetivo e com a cultura da empresa e com o que é necessário para o momento.


Liderança paternalista

Esse é o líder paizão. Um clássico no mercado nacional, é o líder que faz o papel de pai, que ajuda, que inclusive, muitas vezes, faz parte da formação das pessoas da equipe. O líder paternalista nem sempre pode ser um bom líder sob o aspecto técnico, mas ele é tão querido pela equipe, tem uma empatia tão grande com as pessoas, que as pessoas trabalham por ele.


Liderança técnica

O líder técnico é o cara que manja muito do produto/serviço/solução/segmento em que trabalha. Ele é tão técnico, fala com tanta propriedade sobre o assunto, que as pessoas passam a respeitá-lo pelo conhecimento que tem. Não necessariamente é o melhor líder na questão da gestão, mas ele entende do que faz e, por isso, conquista.


Liderança carismática

O cara empata, que consegue se enxergar no outro e que é tão carismático, não só com a equipe, mas também com as outras áreas da empresa afins ao seu trabalho, que ele consegue ter uma boa liderança sobre seu time.

Apesar de listar esses sete perfis, Marcelo Arone deixa bem claro que a melhor liderança não está somente no perfil em si. “Primeiro, eles nem sempre andam sozinhos, muitas vezes, se misturam e mais: pode ser que um funcione mais para uma empresa do que outro, por exemplo”. A grande questão, segundo Arone, é que todos eles, sem exceção, precisam convergir para a liderança PELO EXEMPLO.


O chefe que não FAZ, que não mostra como quer o andamento do trabalho, vai ser muito mais difícil de ser seguido, porque ele cria uma barreira entre ele e sua equipe. Uma coisa é dizer: “vai lá e faz”, outra é dizer “vamos fazer”. Arone instiga: “qual dessas frases você gostaria de ouvir?”. Ele já falou, há algum tempo, em um de seus artigos, sobre o chefe camisa 10.


“Essa analogia com o futebol, para mim, faz muito sentido. O cara que é o melhor capitão é sempre aquele que, no momento em que precisa, vai fazer para levar a equipe junto. Ou seja, não adianta ele ser um líder carismático, mas não saber delegar, ou ser um líder democrático, mas não saber exatamente como fazer o que pede”, afirma o headhunter. “O melhor líder ainda é aquele que se torna mais resiliente e criativo com o tempo e com as crises, e que, no final das contas, inspira pela ação”, finaliza.

0 comentário